Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 


Move Over, Iceland: The Azores Are the Hot New Adventure Destination

por impressoemmeiahora, Segunda-feira, 02.01.17

Sempre disse que os Açores era um paraíso altamente sub aproveitado. Existem lacunas significativas, principalmente ao nível da educação apesar de anos de bolsas e condições favoráveis para entrada no ensino superior, ainda estão longe de ser resolvidos.

 

Contudo, em minha opinião, a solução Açoriana estará no que vem de fora. Este ano nota-se já uma aposta de muitas empresas, ligadas principalmente à hotelaria, turismo de aventura, restauração, bem como grandes marcas do sector secundário e principalmente terciário. Este ano foi o primeiro, ainda com lacunas importantes pela incapacidade na adaptação à nova realidade. 

 

2017 será já contudo um ano mais consolidado, em que a oportunidade foi validada e está a ser agarrada com as duas mãos, principalmente por empresas extra Açores. O que é mais curioso é que não tenho a certeza que a maioria dos Açorianos partilhe desta vontade de crescimento, a inércia é significativa. Contudo, o mundo globalizado não vacila. A grande vantagem da região neste momento é mesma a existência de um Governo Regional, que mais do que na gestão de recursos, tem sabido proteger muito bem as paisagens da ilha, sendo praticamente impossível construir em qualquer zona nobre.

 

São 9 ilhas, todas elas difrentes, todas elas a valerem a visita, todas elas próximas. Um mercado exponencial cujo aproveitamento era nulo até agora. Perspectivo um case study mundial para o vai acontecer nos Açores nos próximos 5 anos.

 

A Blomberg escreveu isto a 10 de Novembro. Vão acertar em cheio.

 

https://www.bloomberg.com/news/articles/2016-11-10/azores-travel-guide-hotels-restaurants-adventure-tourism

 

A Association of British Travel Agents, provavelmente o mercado Europeu que mais influencia o turismo, decidiu realizar a sua reunão anual este ano em Ponta Delgada, com 600 operadores turísticos daquele país. 

 

http://www.publituris.pt/2016/12/29/acores-na-lista-destinos-dos-britanicos-no-proximo-ano/

 

Deixo-vos aqui dos dados de 2016. No fim de 2017, veremos o que aconteceu.

http://srea.azores.gov.pt/

Turism Açores.png

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por impressoemmeiahora às 13:15

24 comentários

De Professor X a 12.01.2017 às 12:21



Vou repetir... desperdiçar o turismo é um erro. Glorifica-lo é outro ainda maior. Por isso investir dinheiro publico em turismo é sempre uma negociata.

De Abel a 14.01.2017 às 14:43

Tu, neste assunto, és confuso.


Fico sem perceber se falas de factos, de convicções pessoais, de desejos pessoais, de estereótipos. Confundes-me.


O turismo é o que é. Teres X pessoas, com dinheiro, a passear por um sítio nunca é mau. Até pode ser que se lembrem de gastar uns cobres. E, a não ser que tenham os pés sujos, defequem no chão ou pesem tanto que façam estremecer a terra, não incomodam assim tanto.


Se é significativo? No nosso nível de Turismo, pouco. Seja porque numericamente é pouco relevante ou porque somos demasiado inclultos para criar oportunidades a grande escala para o aproveitar.


Por isso te digo que os Açores podem ser um caso particular. Primeiro, porque têm de facto potencial para atrair muita gente. Segundo, porque se adaptaram durante décadas a outras actividades para sobreviver, ou seja, o turismo é um extra e não o modo de criar riqueza pro excelência como na Madeira, por exemplo. Terceiro, porque é uma realidade espacialmente finita em que é fácil de medir impactos de variáveis externas.


Os principais problemas são: a distância (que também pode ser uma oportunidade), a baixa diferenciação de quem cá vive para aproveitar as oportunidades. Isto é o MAIOR problema. Por isso te disse que são empresas externas que se estão a mudar para cá. 


Globalmente, isto nunca é mau. Mau é quando nada acontece, não existe interesse, nada muda. E, se há zona do país onde estão a ocorrer mudanças a um ritmo acelerado, esse zona chama-se Açores. Para mim, isso não é novidade pois era por demais evidente que isso iria acontecer,

De Tonecas a 17.01.2017 às 06:28

Ninguem está a glorificar o turismo, apenas se esta a reforçar a constatação de que essa atividade (como outras) é importante para a economia de uma região e mais uma alternativa ao aumento do emprego e riqueza das pessoas.


Não sendo especialista na matéria, o turismo deve ser uma atividade com alto valor acrescentado: um cafe em casa custa 7 centimos, que já inclui lucro e impostos do produtor, importador, distribuidor, embalador, promotor, produtor de eletricidade, produtor da maquina de café, seu distribuidor, vendedor... incluindo salarios e segurança social dos seus funcionários. Se fores a uma chafarrica qualquer, pagas 60 centimos, para incluir lucro e custos do dono do café e seus empregados. Nos estabelecimentos "turisticos" facilmente pagas 1 euro ou mais. Valor acrescentado enorme que fica em grande parte na região (salarios + impostos - são uma % do valor final). Agora é fazer o mesmo raciocionio para alimentação, dormidas, transportes, "tours e visitas", desportos radicais, etc... Os Açores tem futuro no turismo, porque tem recursos que noutros locais não tem (paisagem). O problema dos Açores (em comparação com outros destinos turisticos do mesmo género - não vamos comparar com destinos de praia) eram as viagens, que eram caras. Aqui sim tinhamos uma negociata, quando apenas havia um operador, provavelmente subsidiado e provavelmente com donos e funcionários com privilégios desajustados e que não serviam a região. Aqui, pode ser útil e correto promover o turismo, apoiar empresas que queiram transportar as pessoas a custos mais baixos - o governo vai buscar lucro depois nos impostos e nos menores custos de apoio social gerados pelo consumo dos turistas. Não é por o governo a fazer tours e cafés e hoteis - a função do governo é facilitar, apoiar, promover e publicitar, porque só ele tem capacidade financeira e estratégica para implementar uma campanha (seria dificil agregar interesses de múltiplos operadores turisticos - geralmente é feito por uma congregação ou associação de turismo publica ou privada). Tudo o resto as pessoas fazem por si, como se está a ver no Porto, Douro, Madrid, Barcelona, Açores,....


Mas, Sr Professor, que propunha, para as gentes açorianas, como atividade que lhes gere emprego e riqueza, não se esquecendo que se trata de um arquipelago de pequenas ilhas dispersas e montanhosas e chuvosas?

De x a 23.01.2017 às 14:04

Emprego o turismo dá alguma coisa. Por vezes sazonalmente e sempre indiferenciados e por isso mal pagos.
Riqueza eles já têm.

Comentar post



Comentários recentes

  • Anónimo

    Hum hum...

  • Anónimo

    Quem não concorda com a existência do BE, deve con...

  • Anónimo

    O BdC não aproveitou o Leonardo Jardim, o Marco Si...

  • Anónimo

    Esse lugar nobre é do Benfica. Ou aceitas que seja...

  • O comuna

    O futebol é uma máfia. BdC ainda acaba na valeta.

  • Pó de Sirphoder

    Quem defende o Vieira é mau.Quem defende o Bruno d...

  • A hipocrisia

    Muito se fala do BdC, mas quando olho para os outr...

  • Abel

    Muito se poderia dizer. Mas tenho uma pergunta: co...

  • Turista

    Para quem coloca o turismo como uma fonte menor:ht...

  • Nostalgia

    Xiii... o que foram lembrar...





Links

Blogs quase medíocres mas expectaculares