Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 


O Xi-Cotão - Projecto o que sabes e pensas dos teus amigos

por NSR, Segunda-feira, 03.09.12

Proveniente de famílias aristocráticas de Trás-os-Montes e de Coimbra, o Xi-Cotão é o último elemento a ser revisitado por este Projecto.

 

Um amante da natureza e dos livros, tenta espalhar esta sua religião pelo mundo. Até ao momento conseguiu convencer o fantástico número de 0 pessoas para a sua fé.

 

Após a recolha das variadas opiniões, este elemento doravante será conhecido como: Ervinhas, Índio, Sem-Terra, Robinson Crusoé, Maquiavel, Nietzsche de Picote.


Ideais Familiares:

- Ensinar os filhos a lavrar o campo antes de andar

 

- Pouco convencional na forma como vê a família

 

- Familia é uma estrutura fundamental

 

- Já não sabe viver sem galinhas

 

- Muito liberal, pouca dependência familiar

 

- Serve para arranjar alguem que tire a louça da maquina

 

- É contra o casamento

 

- Parece desapegado, mas o bichinho está lá

 

- Patriarca

 

- Repete muitas vezes "Tudo se cria"

 

- Conceito saudável de família

 

- Anda nu

 

- Amantizar a melhor galinha poedeira do capoeiro



Ideais Políticos:

- É um perigoso extremista de direita

 

- Anti Bloco de Esquerda

 

- Bloquista de espírito

 

- Em Portugal não se faz política. Apenas se decide para onde vai o dinheiro que resta.

 

- Grande apoiante da integração dos ciganos nas comunidades rurais de Trás-os-Montes

 

- Anti tudo o que seja Mainstreem

 

- Gosto secreto pela anarquia

 

- Anárquico, desde que não lhe pisem os calos

 

- Ou seja, um conservador disfarçado de bloquista

 

- Direita total

 

- Por vezes, um pouco utópico

 

- Daria um bom político, mas ganhava apenas o primeiro mandato

 

- A solução política global esta na diferença. Na valorização de cada sistema político para diferentes grupos de pessoas através da compreensão mais completa de cada ser humano.

 

- Saber como se escreve Habsburgos e em que freguesia de Âncora vivem

 

 

Ideais Económicos

- Será provavelmente o que tem uma relação mais saudável com o dinheiro

 

- Defende que devemos ser auto-sustentáveis, a começar no que comemos

 

- É um opinion maker - tem o dom de descobrir tendências, nem que seja demasiado cedo

 

- Cavalga numa das melhores características do homem - querer sempre mais - e no seu maior fragilidade - o seu inconsciente.

 

- A economia tem o homem preso ao seu irracional

 

-  Fã de depósitos a prazo

 

- Seria daqueles que daria melhor uso a uma grande quantidade de dinheiro

 

- O dinheiro é um extra na sua vida, não depende especialmente da quantidade que tem

 

- O pagamento é uma formalidade que a Igreja criou e por isso não cumpro.

 

- Recusa descontos de 5% por serem baixos demais, preferindo pagar o preço sem desconto.

 

- Capitalista que pouco quer fazer para ganhar dinheiro

 

- As coisas acontecem e aparecem naturalmente, sem necessidade de levantar o rabo - basta pensar

 

 

Ideais Religiosos

- Incoerente. É Anti Religião mas depois um dos seus Patrões é a Santa Casa da Misericórdia…

 

- Ateu

 

- Às vezes tem dúvidas se é ateu

 

- Anti-católico (vide Politica)

 

- Não é só "não ter"- é combater

 

- O que lhe ensinaram é que os escritores de esquerda e o Steve jobs é que sabem e se eles dizem que é para abater, abate-se - nem que o povo se alimente disso

 

- Budismo

 

- Acredita em fenómenos sobrenaturais como a integração dos ciganos na sociedade

 

- Católico ateu militante

 

- Redemptor hominis

 

- Teria capacidade para gerir uma seita

 

- Vê nas Igrejas um espaço desperdiçado para guardar feno

 

 

Ideais Gastronómicos

- Excessivamente virado para o vegetal - risco elevado de se passar alguma fome na sua companhia

 

- Pão com queijo e ovo estrelado

 

- Bom gosto à mesa

 

- Muitas Ervinhas

 

- Muitos Ovinhos

 

- É o Rei da Batata Frita

 

- Boa companhia

 

- A simplicidade e naturalidade são preferidas

 

- Verdura é a base da dieta

 

- Mas se apanho batatas fritas, carne, chocolate, red bull etc …

 

- Prato com honestidade, simplicidade e cultura

 

- Comer CUScuz a toda a hora

 

- Conflito interior constante entre comer apenas aquilo que a terra dá e comer postas mirandesas ao pequeno almoço

 

 

Ideais Médicos

- Trabalhar no Centro de Saúde De Felgueiras

 

- Ter tomates para assumir a sua opinião perante o ex-patrão

 

- Ser pago ao minuto!!! Uma hora é demasiado tempo para estar concentrado na mesma coisa.

 

- Dormir enquanto está a fazer turnos da VMER

 

- Ter tempo para a agricultura durante os turnos de VMER

 

- É um trabalho

 

- Elevada autonomia e confiança

 

- Até à data, o único coerente no inconformismo

 

- Anti-Medicina  porque já está muito batida

 

- Por isso virou para o alternativo e Psiquiatria - e não deixa de ter razão

 

- Gostaria que fosse o meu médico de família

 

- Medicina: Aquela que deixa a pessoa feliz.

 

- Plantação de canabis em Picote para aplicação exclusiva na Medicina alternativa

 

 

E assim terminamos em grande este projecto...

 

Foi óptimo ver essas cabeças a trabalhar!

 

Que comece o julgamento em praça pública deste senhor...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por NSR às 17:18

44 comentários

De Barros a 03.09.2012 às 17:57

Confusão absoluta. Reflete bem o que vai na tua cabeça - uma balbúrdia. Preciso de algum tempo para pensar e absorver toda a informação.

De Faminto a 03.09.2012 às 18:02

finish himmmmmm....!!!!

Já não era sem tempo. O melhor para o fim: faz lembrar aquela parábola sobre o milagre do vinho...

Vou molhar o pão na sopa como gente grande.

Obrigado Sapatino por esta ideia, por este projecto, pelos momentos de risota. Bem hajas.
Folgo em saber que compreendeste onde se queria tocar com a questão da religião.


De NSR a 04.09.2012 às 03:43

Caro Faminto: Eu compreendo sempre tudo onde querem chegar. Se depois concordo, ou não, é outra história e aí uso 4 tácticas:

a) Largo a bomba e depois fico-me a rir ao longe ao digladiar dos intervenientes (Táctica Barros)

b) Largo a bomba e pacificamente sou violentado pelos restantes sem nunca exprimir agressividade (Táctica Figueiras)

c) Largo a bomba e esgaravato até só ver osso, completamente imune a mudanças de opinião (Táctica Abel)

d) Largo a bomba e desrespeito os adversários verbalmente pela sua falta de honestidade argumentativa, provocando um sururu que ajuda a esconder as limitações dos mesmos (Táctica Xico)

De Sufocado a 04.09.2012 às 17:57

Tinha a ideia que havia muito a dizer mas não consigo. Não sei por onde começar.

- se pelo pedalar característico que lhe garante derrotas
- se por aquelas cenas de maus tratos na bola que ele faz à 3ª feira
- se pelo egoísmo de ler tanto e ter tanto para dizer mas não vir cá escrever
- se pelo rancor às instituições como a Microsoft, o Continente, a Igreja, o Minho, a Sueca, o Jornal de Notícias
- se pelos papelinhos que acumula na carteira mas que não são aceites como meio de pagamento em lado nenhum
- se pelo gosto musical erudito e por não nos presentear com uma actuação ao piano ou com um cd de colectanea de hit's - porque não cantas para nós? porque não nos dás música?

De Barros a 03.09.2012 às 18:06

Correcção: Amantizar a melhor galinha do capoeiro.
Amantizar - "Viver maritalmente com uma pessoa sem com ela estar casado" (dicionário Língua Portuguesa)

De Provedor a 03.09.2012 às 19:08

Oh Pargus: Não sei o porquê da tua insistência com o Centro de Saude integrante do Eixo do Mal.

É de assinalar a capacidade do Zico em renunciar ao funcionalismo público: não é para qualquer um. Penso que essa atitude demonstrou que o homem tem capacidades de medir e pesar - sabe o que é o valor. Não o valor em dinheiro, mas o Valor - aquele que lhe permite estar sentado ao sol naquela cadeira desmontável, com um copito de limonada, a entreter-se a olhar para as galinhas a esgadunhar a palha e, sem se levantar ou sequer esboçar qualquer intenção de se mexer, descobrir os 2 rabanetes que germinaram expontaneamente no meio das abóboras e pensar: olha que bom e dizem eles que isto não é produtivo! E é capaz de passar pelas brasas logo a seguir. Se fosse outro ia sujar as unhas e dar cabo das costas - ele não, a necessidade é coisa que não o atormenta, o aprovisionamento em função de previsões susceptiveis de tanta variabilidade por factores tão díspares, tão frágeis, nada controláveis, não fazem sentido. É um homem com um A grande.

É de assinalar, mas acho que a tua insistência em publicar isso na net não traz beneficio nenhum para ele.

De NSR a 04.09.2012 às 03:28

Mas isto é para beneficiar alguém?

Querem ver que isto é um blog misericordioso e não me avisaram.

Aqui é para estraçalhar. Ponto.

De Arauto a 04.09.2012 às 08:13

Ao menos que não seja para prejudicar ninguém.

De Insultado a 04.09.2012 às 20:20

Isso é um insulto. Quem és tu para julgar o benefício ou prejuízo?

Deus não julga. Eu tu também não o devias fazer. Andas a faltar à missa.

Vamos ter de resolver isto em tribunal.

De Estupefacto a 03.09.2012 às 19:49

Parece que acabei de ver um filme de terror...

De Abel a 03.09.2012 às 23:24

O Xico é aquele gajo que tem um matagal no quintal e acha que aquilo é agricultura de ponta?

Está tudo dito.

De NSR a 04.09.2012 às 04:19

Entre o conforto da civilização e a beleza e liberdade do que é verdadeiramente simples e natural.

Entre a razão e o coração.

Entre a história e o presente.

Entre ir a um restaurante XPTO ou ficar em casa a comer uma folha de alface.

Entre a genética e a cultura.

Entre o fundamentalismo e a tolerância.

Entre o raçudo e o despreocupado.

Entre a ideia e a prática.

O Xico está sempre em mudança.

Nunca está parado.

Prefere cometer o erro ao invés de nada fazer.

É imprevisível.

Vai indo de uma ponta à outra do mundo, testando e experimentando tudo.

E só então define qual é a sua opinião e o que é importante para si.

De Devoto a 04.09.2012 às 13:32

Repete muitas vezes "Tudo se cria"

Isto vai um pouco contra o que disse Lavoisier que referiu especificamente que "nada se cria". Acho que o que ele quer dizer é uma das duas coisas seguintes:

- tudo se cria, sem nada eu fazer (mas ele não quer ver o mundo a revirar pedra para as coisas aparecerem, não quer ver biotecnológicos na Monsanto, engenheiros na Jonh Deere, gestores na Wall Mart, veterinários na CaL Maine Foods, mecanicos na Daimler, informáticos na Apple, esteticistas na Only Nails - sim, ele preza muito as suas unhas)

ou
- tudo me queria - como quem, eu sou um guru indiano, como rebentos, escovo os dentes com raizes de nabo, ando vestido com uma fralda branca apertada ao pescoço e, lendo o que pessoal escreve por aqui, todos me invejam a vida.


PS:
Mas esta frase "tudo se cria" faz-nos remeter para a passagem Biblica do "Tudo Deus criou" e toda a história dos Jardins do Eden que vem no livro dos Génesis - muito à imagem do que se pretende na Permacultura - uma forest food produtiva com fartura em que os homens andam nus e despidos de preconceitos alimentando-se daquilo que a Natureza lhes dá, sem nada ter que fazer por isso porque Deus providenciará por tudo. Foi uma pena termos provado a maça!

De xik a 04.09.2012 às 16:25

"alimentando-se daquilo que a Natureza lhes dá, sem nada ter que fazer por isso porque Deus providenciará por tudo. Foi uma pena termos provado a maça!"

Afinal quem dá? A Natureza ou Deus? Aqui tens o teu grande dilema. Se a Natureza é diferente de Deus quem providencia? Se são a mesma coisa porque insistes em chamar-lhe Deus? Ou venera-la() da forma que te ensinam e não cultivando uma horta. No fundo estarás tu mais perto de Deus na Igreja do que eu na minha horta?

E essa maça? Peço que expliques a tua visão acerca dessa metáfora antes de eu explodir de raiva preconceituosa!

De xik a 04.09.2012 às 16:30

Esqueci-me de dizer que:

O BARROS É UM CEPO.

De A Natureza é Divina a 05.09.2012 às 08:37

Deus providencia-te também a Natureza. Por isso também a Natureza é produto Divino, tal como tu numa escala diferente. Por isso eu, concordando contigo, acho que deva ser utilizada e respeitada.

Deus é omnipresente logo está sempre perto. Deus está para tudo e para todos. Só tens é que "abrir os olhos" e querer ver. Podemos continuar a falar, ajuda-te a ti e a mim nesse precurso. Se já vês e queres dar outro nome, outra forma, outro sentido - tudo bem. Também o Amantizador vem com um erro habitual - confundir Religião com a forma material da Igreja Católica. É compreensível essa atitude hostil e de repulsa, dadas as convivências e aprendizagens culturais e sociais e o rompimento com as tradições (começa por volta da adolescência) e pela história. Só espero que não façam o pior que seria confundir comigo.

Quanto à maçã - como queres fazer? Começas tu ou eu? Não te esqueças que é uma metáfora, não te esqueças de ler desde o início, não te esqueças que foi escrita há milhares de anos...

e não te esqueças que, apesar de ter quase a certeza que tu fazes a ligação entre essa metáfora e o sexo, não tem nada a ver com isso. Por isso pensa se continuas a ter interesse em discutir o assunto.

Podemos depois abrir um posto só sobre a maçã - é um assunto para muita escrita, transversal na História, transversal nas actividades do homem e podemos discuti-la sem falarmos puramente em termos religiosos, já que esses termos te dão tanta azia.

De qualquer forma, como queres fazer?

De Pragmático a 05.09.2012 às 12:30

Caro senhor "A Natureza é divina":

Compreendo totalmente agora o Xico.

É precisamente por esta tentativa de querer que os outros estejam formatados a pensar da mesma forma que o senhor, sem qualquer tipo de evidência factual a suportá-lo que ele se revolta.

O Xico pode insultar directamente com termos como parvo patético etc, mas o senhor insulta sorrateiramente pois quer que nos rendemos a algo que está na sua cabeça (e na de muita outra gente) mas que de concreto pouco tem, a não ser ritos criados por outros seres humanos.

Caro senhor: Pode acreditar no que você bem quiser(principalmente quando não tem factos concretos a suportar essas ideias), não está é no seu direito de impor nada aos outros dizendo que é verdade algo que não consegue demonstrar.

De Tomás a 11.09.2012 às 18:08

Pragmático - pertinentes as suas questões que nos levam a rever e pensar.
Reconheço que não serei a pessoa ideal para discutir estes temas a um nível mais avançado e com interlocutores com inteligência e capacidade de crítica elevadas. Esta discussão já precisava de alguém com mais capacidade e com mais conhecimento sobre o assunto para poder responder às questões que aponta. Existem licenciaturas e doutoramentos em Teologia, há filósofos por toda a História e as dúvidas que levanta são objecto de estudo por vários ramos da Ciência.

Resumindo: neste capítulo estou na primária e assim fico a mercê de quem já tem licenciaturas e pós graduações em Ciência e corro o risco de as minhas intervenções serem contrapruducentes e, em vez de melhorar o conhecimento e esclarecer, posso ensombrar ainda mais.

Mas, na primária aprendi que 1+1=2. No secundário que força=massa x aceleração, 1/0 não existe em R, os objectos são constituídos por átomos, estão sujeitos às leis de Newton etc. Na faculdade, .... 5ª feira é dia de Sound Planet.

Na primária os alunos aprendem que 3x5 igual a 15 mas não sabem porquê. Com o avançar dos estudos, depois de perceberem o conceito conseguem evoluir e perceber porque 3x5 são 15. O mesmo para a Física, para a Geografia, para a Química.

As ciências exatas trabalham com conceitos inferidos da realidade material que podem ser submetidos a experiências e resultados consistentes. Nas ciências sociais, também trabalham com conceitos, mas os resultados e as experiências são mais complicadas - é ver o caso da Economia e as suas previsões nos tempos que correm e da própria Medicina e Engenharia.
Às vezes não compreendemos certas polémicas relacionadas, por exemplo, com o Direito - isso acontece em parte porque não conhecemos essa área e não percebemos os conceitos inerentes. Com a Religião pode acontecer o mesmo.

Não é minha intenção obrigar ninguém a acreditar no que quer que seja nem impor nenhuma verdade. Relembro que a discussão começou por qualquer coisa como a Religião é inata/ubíqua - que julgo ser bastante evidente como já discutimos e como a História o demonstra de modo muito factual. Mas mais uma vez, não queria que confundisse o conceito inicial de Religião com os ritos e outras coisas (que constituem as Religiões) a que se refere no seu comentário - reconheço que tambem conduzi um pouco a conversa para uma área que fomenta essa confusão - isso é motivo para outras conversas.

Quanto a Deus, a sua existência e providência - remeto novamente para os conceitos. Não consigo demonstrar a sua existência através duma experiência.
Para mim, uma prova está na existência em si. Deus está no inicio e no fim de tudo:
- podes comprovar que existe Tempo e que esse conceito é válido - assim, onde começa?, onde acaba? porque existe? - mesmo que digas que começou no Big Bang há centenas de milhões de catrefadas de anos, Deus estará sempre antes e depois disso.
- podes comprovar que existe matéria - assim onde começou? onde acaba? porque existe?
- podes comprovar que existe Universo, estrelas, planetas corpos, moléculas átomos, electrões, etc - assim, de que é feito a coisa mais pequena? e a coisa maior? onde começa? onde acaba?

Para mim, Deus também está no meio
- podes comprovar as leis da Física - assim, porque é que funciona dessa forma? Quem ou o quê definiu o funcionamento do mundo?
- podes comprovar que 1+1=2 - assim, o que é que é o 1? porque é que 1+1 = 2?
- podes verificar que as pessoas interagem e têm sentimentos - porque?

Para mim, a Ciência não invalida a existência de Deus, assim como os sistemas de treino anti gravidade dos astronautas não invalidam que as maças caiam em cima da cabeça do Newton.

Compreendo que queira factos matemáticos tal como a Ciência o exige. Neste momento, só lhe consigo dizer que, provavelmente, sendo áreas diferentes terão demonstrações diferentes - mas alguém entendido poderia ter outras ferramentas e conhecimentos que não possuo.

De Resposta a Frei Tomás a 14.09.2012 às 13:05

"Às vezes não compreendemos certas polémicas relacionadas, por exemplo, com o Direito - isso acontece em parte porque não conhecemos essa área e não percebemos os conceitos inerentes. Com a Religião pode acontecer o mesmo."

É verdade.

"Não é minha intenção obrigar ninguém a acreditar no que quer que seja"

Óptimo.

"Mas mais uma vez, não queria que confundisse o conceito inicial de Religião com os ritos e outras coisas (que constituem as Religiões) a que se refere no seu comentário - reconheço que tambem conduzi um pouco a conversa para uma área que fomenta essa confusão - isso é motivo para outras conversas."

Aguardo pelas mesmas.

"Quanto a Deus, a sua existência e providência - remeto novamente para os conceitos. Não consigo demonstrar a sua existência através duma experiência."

Ainda bem que dá isto de barato, daí achar que deve ter cautela nas suas afirmações. Mas eu também dou de barato que não consigo demonstrar a sua inexistência.

"Para mim, uma prova está na existência em si. Deus está no inicio e no fim de tudo:
- podes comprovar que existe Tempo e que esse conceito é válido - assim, onde começa?, onde acaba? porque existe? - mesmo que digas que começou no Big Bang há centenas de milhões de catrefadas de anos, Deus estará sempre antes e depois disso.
- podes comprovar que existe matéria - assim onde começou? onde acaba? porque existe?
- podes comprovar que existe Universo, estrelas, planetas corpos, moléculas átomos, electrões, etc - assim, de que é feito a coisa mais pequena? e a coisa maior? onde começa? onde acaba?
Para mim, Deus também está no meio
- podes comprovar as leis da Física - assim, porque é que funciona dessa forma? Quem ou o quê definiu o funcionamento do mundo?
- podes comprovar que 1+1=2 - assim, o que é que é o 1? porque é que 1+1 = 2?
- podes verificar que as pessoas interagem e têm sentimentos - porque?
"

Fez bem em usar o Para mim. Não querendo responder a todas as suas perguntas faço-lhe um comentário que talvez seja estimulante para o seu voraz cérebro:

Porque é que Deus é mais citado, mais nomeado, mais falado quando não existe sabedoria sobre determinado assunto? Para a maioria das pessoas Deus é o responsável por coisas nas quais há vazio da conhecimento. Deus existe sobretudo na ausência de respostas definitivas a algumas das suas perguntas.

É isso que me inquieta: Deus existe pela dúvida e não pela certeza.

"Para mim, a Ciência não invalida a existência de Deus"

Como lhe disse antes de facto não consigo provar a sua inexistência.

"Compreendo que queira factos matemáticos tal como a Ciência o exige."

Nunca foi esse o meu objectivo nesta conversa. O objectivo foi e será sempre pensar sobre este assunto.

Deixo a pergunta crucial para mim: Foi Deus que criou o Homem, ou foi o Homem que criou Deus?

Qualquer que seja a resposta, em ambos os casos uma das conclusões que se pode tirar é que Deus de facto existe. Talvez não como criador, mas como criação. E aí concordo consigo quando diz que a religião é inata. De uma maneira ou de outra.

De Barros a 04.09.2012 às 17:59

Chico, devolvo-te o cêpo para ti porque não fui eu que mencionei o Centro Saude Felgueiras. De qualquer das formas, se não ficaste a dever nada a ninguém (e no Minho diz-se "quem nada deve, nada teme") ainda não percebi qual o teu receio quando se toca neste tema. Explica-me por favor.
"Vê nas Igrejas um espaço desperdiçado para guardar feno" - voto nesta frase como a que melhor ilustra o Xik: tolerante e despreocupado numas questões mas fundamentalista e desrespeitador pela liberdade individual noutras.

De Inocente a 04.09.2012 às 20:15

O Barros está transfigurado meus caros. Depois de um início a meio gás neste projecto, já ultrapassou pela direita várias meninas que por aqui andam...

De Amantizador de Galinhas a 04.09.2012 às 19:56

A galinha tem penas. O Xico também tem pena. Tem pena de nós. Mas este não é um sentimento de compaixão.

Aliás isso da compaixão pelo próximo é mais uma ideia imposta pela igreja católica apostólica romana.

Tudo o que vem desse lado tem de ser ignorado. Mesmo que seja bom. Mesmo que seja o correcto.

A verdade é que o Xico não precisa de nós, nem de igreja, nem de ninguém, o seu ego protege-o de qualquer sentimentalismo bacoco.

O Xico tem razão. A partir daí amanhem-se e tentem ficar à tona de água.O Xico é assim o maior defensor da liberdade individual. Da liberdade individual dele próprio claro.

E ai de quem tenha ideais que ele já negou. Está a puta armada com essas sinapses defeituosas, corrompidas por um pensamento impuro, limitativo e básico.

Admiravam-se se o Xico tivesse dito estas frases?!:

"Deus está morto. Viva Perigosamente. Qual o melhor remédio? - Vitória!".
"Há homens que já nascem póstumos."
"O Evangelho morreu na cruz."
"A diferença fundamental entre as duas religiões da decadência: o budismo não promete, mas assegura. O cristianismo promete tudo, mas não cumpre nada."
"Quando se coloca o centro de gravidade da vida não na vida mas no "além" - no nada -, tira-se da vida o seu centro de gravidade."
"Para ler o Novo Testamento é conveniente calçar luvas. Diante de tanta sujeira, tal atitude é necessária."
"O cristianismo foi, até o momento, a maior desgraça da humanidade, por ter desprezado o Corpo."
"A fé é querer ignorar tudo aquilo que é verdade."
"As convicções são cárceres."
"As convicções são inimigas mais perigosas da verdade do que as mentiras."
"A moralidade é o instinto do rebanho no indivíduo."
"O idealista é incorrigível: se é expulso do seu céu, faz um ideal do seu inferno."
"O padre está mentindo."
"Deus está morto mas o seu cadáver permanece insepulto."
"Será o Homem um erro de Deus, ou Deus um erro dos Homens?"
"Deus está morto: não existe qualquer instância superior, eterna. O Homem depende apenas de si mesmo"


De A Maça a 05.09.2012 às 12:38

Reino: Plantae

Clado: angiospérmicas
Clado: eudicotiledóneas
Clado: rosídeas

Ordem: Rosales

Família: Rosaceae

Subfamília: Maloideae

Género: Malus

De Abel a 05.09.2012 às 12:45

Fdx... que campo de tiro. Um gajo já só entra neste blog de capacete e colete.

Quando ficar tudo rico com a D. Branca temo pela sanidade desta gente.

De Barros a 05.09.2012 às 13:37

O Chico precisa de mim e gosta que eu lhe afague o ego.
O Figueiras parece-se, cada vez mais, com uma daquelas testemunhas de Jeová que não nos larga a porta.

De Justiceiro a 06.09.2012 às 11:54

O que se está a passar nesta secção de comentários é simplesmente lamentável.

O Figueiras tem pela constituição o direito a duas coisas: Liberdade de expressão e liberdade religiosa.

Pode portanto exprimir a sua fé aqui neste blog, pode espalhá-la e divulgá-la como bem entender por todo o mundo. A vossa tentativa de silenciamento do Figueiras é simplesmente reles. Revela intolerância e fundamentalismo e cai no erro que lhe apontam, querer que os outros pensem de acordo com os vossos pensamentos.

A não aceitação da diferença, o uso de insultos pessoais para atacar instituições e credos religiosos fica-vos muito mal.

Sem mais nada a dizer

F.

De Educação a 06.09.2012 às 14:19

O corropio de posts do Impresso faz-me lembrar uma conversa tida enquanto se bebia cidra no Sopé do Angliru: Educação à antiga Portuguesa.

Duas chapadas bem dadas no focinho de cada um destes meninos e a discussão assenta logo na normalidade.

De Quero uma francesinha a 06.09.2012 às 17:44

Quero lá eu saber se me fica mal...

Obviamente que pretendo que o Figueiras pense como eu... daí até ser intolerante vai muito caminho. Nem ele chega a ser intolerante. Mas nesse caminho que culminaria no fundamentalismo encontra-se antes uma fase bastante irritante que eu chamo de moralista. E esta é desonesta. É terminar as frases do alto do seu cadeirão: "chico... não é bem assim..." com ar paternalista. Isto roça a intolerancia. Ao partimos como interlocutores ao mesmo nível considero desonesto a manipulação do discurso ao nível do incosciente. Eu apenas apresento argumentação. Se o teu raciocinio não lhe pegar não projeto no interlocutor vícios das relações verticais. É um insulto e a conversa não azeda porque somos ambos contra a violência física fora das bicicletas.

De Arauto a 06.09.2012 às 19:55

Conversa demasiado arrumada.

A julgar pela horta do Xico, tenho dúvidas fundadas que este texto lhe pertença.

De Carrilhões a 06.09.2012 às 21:33

Só tenho vícios nas relações horizontais. As verticais cansam-me muito.

De Enfadado a 06.09.2012 às 22:44

Fala-se em maça e o Xico fala em francesinha... Mais uma vez se vê coerência deste senhor!

De Xik a 10.09.2012 às 12:26

Daqui a uma semana vai haver uma discussão pública destes assuntos. Espero toda a gente artilhada. Vou propor varias modalidades.
1. Discussão jesuita: cada um apresenta um argumento ao qual o outro apenas pode responder com outro argumento
2. Discussã etilica: uma ideia é apresentada e cada um tem 30 segundo para enxovalhar
3. Discussão politica: uma ideia é apresentada e cada um tem 30 segundos para se recordar quando o apresentador não pos em pratica esta ideia
4. Discussão minhota: vale tudo

Alguma outra modalidade?

De Abel a 10.09.2012 às 13:26

Se há, não sei.

Mas uma coisa todas as modalidades têm em comum: no fim, és tu quem leva sempre no lombo.

De X a 10.09.2012 às 23:04

Posso ter razão e mesmo assim levar no lombo. Ok. Chamemos-lhe justiça minhota.

Estou convencido que o desporto favorito do minhoto é tentar vencer discussões. Até parece que já os estou a ouvir...

"Já pagaste as cervejas?
Então nao me viste pagar, caralho?
Nao pagaste, que eu vi!
Mas viste o que? Vai masé pó caralho!
Fodasse nao pagaste que não te vi pagar. Foste mijar e vieste de bolina praqui
Ta masé calado. Olha a tua gaja ali!
Essa não é a minha gaja
Então não é?
Fodasse essa? Com aquela saia?
É caralho, é a tua gaja!
Não é que ela tem um peijo 207 vermelho.
E aquilo que é?
Aquele é um clio.
Não é nada.
É fodasse
Vais me dizer que aquela carroça é um clio? Os clios são mais acabaçados!
E tu que percebes? Tens um clio?
Não. E é preciso ter um clio. Achas melhor que um peijo?"

Os meninos não se revêm nestas conversas? Neste linguarejar acusatório permanente?

De Abel a 10.09.2012 às 23:42

Quase que me senti no Minho Xico.

Obrigado.

Mas gostava que tivesses usado também outras asneira, foste um bocadinho monótono. Mas, no geral, gostei.

Estão-te a fazer bem os ares do Minho. Não tarde muito tens uma horta a sério.

De Inimigo a 11.09.2012 às 11:35

Nem um puta que pariu usou, não tem classe para o dizer à boca cheia.

De O verdadeiro Minhoto a 12.09.2012 às 22:13

Xico, vou-te mostrar como é que devias ter escrito. Nota-se mesmo que ainda tens influência demasiado cordiais que te emperram os dedos na hora da correcta transcrição da conversa.

"Já pagaste as bejecas caralho te foda?
Olha-me um filho da puta destes…. Então nao me viste pagar, meu caralho?
Vai-ta foder. Pagaste o caralho! Nao pagaste, que eu vi!
Não viste?… visses! Para a merda que andas aí a fazer!
Fodasse nao pagaste que não te vi pagar. Foste mijar e vieste de bolina praqui!
Ta masé calado. Olha a tua maria ali! Já te vai foder a cabeça….
Aquela puta não é a minha gaja!
Então não é?
Fodasse essa? Com aquela saia? Antes fosse! Lambia-lhe aquela cona de cima a baixo!
É caralho, é a tua gaja!
Não é que ela tem um peijo 207 vermelho rebaixado?
Vai-ta foder que não percebes nada de carros. E aquilo que é caralho? Abre os olhos lambão do caralho!
Foda-se… Aquele é um clio.
Ó que caralho… Não é nada, já te disse o que é caralho!
É fodasse!
Vais me dizer que aquela carroça é um clio? Os clios são mais acabaçados!
Foda-se… Vais-me levar duas lambadas nesse focinho… E tu que percebes? Tens um clio?
Não. E é preciso ter um clio. Achas melhor que um peijo?
Olha… que se foda! Queres outra mini?
Venha ela!"~

Percebeste as diferenças? Já tens um rumo a seguir.

De Sensato a 11.09.2012 às 11:46

Na discussão Jesuíta - vai ganhar o Tino
Na discussão Etílica - vai ganhar o Abel
Na discussão Politica - vai ganhar o Figueiras
Na discussão Minhota - vai ganhar o Barros

Como é fácil de concluir quando quiser perder uma discussão é só falar com o Chico. Incrível como este senhor podia ganhar tantas discussões e arranja sempre maneira de ir chafurdar na lama e perder. Neste momento vai em 74 discussões perdidas consecutivas.

Recordo-me bem da última discussão que o Chico ganhou. Estávamos em Esposende. Já se tinha bebido um bocado e falava-se de religião... O Chico resolveu então dizer convictamente que os 10 mandamentos eram más orientações de vida em geral. Os restantes não concordavam obviamente e o Tino tentou chamá-lo à razão. Chico manteve-se irredutível e até levantou a voz. Perante tal desatino, não restou outra solução ao Tino que não fosse abandonar repentinamente aquela habitação assumindo a derrota.

De Recordo bem a 11.09.2012 às 15:17

Bem me lembro. O Paxtino saiu com o rabinho entre as pernas. Com que então,"Não roubarás", "Não matarás", são princípios de vida válidos?... é para aprenderes.

De x a 12.09.2012 às 11:34

Não retiro nada do que disse. Quem não quer entender que esses mandamento estupidificam o homem tem um espírito muito pobre.

De Atento a 12.09.2012 às 12:32

Estupidificam de tal forma o homem que em todos os países do mundo tais actos são proibidos e punidos por lei (e a lei é algo diferente do que falo a seguir).

A tua incompreensão de que as pessoas não fazem isto porque está escrito que não se deve fazer algures na história de algumas religiões mas sim porque tem a ver com outra palavra e essa palavra é Ética.

A Ética é muitas vezes incorporada na Lei, e no caso destes dois actos, é fácil de perceber que a mesma foi, e bem, incorporada.

As religiões podem advogar (e de facto advogam) inúmeros valores éticos. O que tu pelos vistos não consegues ou não queres perceber é que a religião pode ter princípios éticos comuns à sociedade.Se a Ética fosse apenas dos religiosos seria então apenas aplicada aos religiosos. Mas não. A Ética é para todos.

A ti pelos vistos custa-te que as religiões defendam estas valores. Não porque Sim, mas porque é eticamente correcto. Dizer que estes mandamentos estupidificam o homem é dizer que estes valores éticos estupidificam o homem. E aí a nossa discordância é total e absoluta.

Alguém escreveu esta frase sobre ti.

"A solução política global esta na diferença. Na valorização de cada sistema político para diferentes grupos de pessoas através da compreensão mais completa de cada ser humano."

Peço-te que a leias de novo retirando duas palavras:

"A solução global esta na diferença. Na valorização de cada sistema para diferentes grupos de pessoas através da compreensão mais completa de cada ser humano."

De Fogueiras a 12.09.2012 às 17:50

Estou de acordo com o Atento.
O Parraxote tem esse preconceito enorme o que o leva a cometer estes erros de avaliação.

Agora eu temo pela integridade psicológica ( e talvez mesmo física) do senhor Atento: fazer um comentário incluindo palavras como Ética e Religião - acende-se logo um alarme no Xafarrico que o faz disparar.

Imagine se fizesse uma alusão (por pequena que fosse) à Moral... terraplanava-o!

Comentar post


Pág. 1/2



Comentários recentes

  • Anónimo

    O BdC não aproveitou o Leonardo Jardim, o Marco Si...

  • Anónimo

    Esse lugar nobre é do Benfica. Ou aceitas que seja...

  • O comuna

    O futebol é uma máfia. BdC ainda acaba na valeta.

  • Pó de Sirphoder

    Quem defende o Vieira é mau.Quem defende o Bruno d...

  • A hipocrisia

    Muito se fala do BdC, mas quando olho para os outr...

  • Abel

    Muito se poderia dizer. Mas tenho uma pergunta: co...

  • Turista

    Para quem coloca o turismo como uma fonte menor:ht...

  • Nostalgia

    Xiii... o que foram lembrar...

  • Anónimo

    Parece o Kursk!Ups! Esse é outro elemento aqui do ...

  • Anónimo

    Não pode ser. Temos de salvar este Salgueiros.





Links

Blogs quase medíocres mas expectaculares